< Voltar

Metodologia

A Metodologia de avaliação da Monetus é uma combinação de comparações tanto absolutas quanto relativas dos fundos. Ao contrário da maioria, nós não estamos apenas classificando os fundos com base em sua rentabilidade, mas sim com base em vários critérios quantitativos que seriam utilizados por um gestor profissional ao avaliar a qualidade de um fundo.

Nosso algoritmo exclusivo analisou milhares de fundos de investimentos recomendados para investidores em geral para chegar a uma avaliação confiável. Em linhas gerais, os fundos são separados em categorias, como renda fixa, multimercado e ações, e depois comparados entre si com relação a fatores como: Retorno ao longo dos últimos anos, índice de Sharpe, volatilidade anualizada, patrimônio líquido, taxas de administração, tamanho da gestora e tempo de existência.

Juntos, os fatores citados anteriormente resultam em dezenas de milhões de dados que são tratados e analisados em questão de poucos segundos pelo nosso algoritmo em tempo real. A ideia aqui é de fornecer para você a melhor ferramenta de análise de fundos de investimento do país, algo feito por gestores profissionais mas acessível para qualquer pessoa, independentemente de ela entender de investimentos ou não.

Abaixo você pode conferir em mais detalhes a metodologia utilizada.

Retorno

Quando falamos de investimentos, o que todos nós sempre buscamos é uma boa rentabilidade. Assim, nada mais justo que esse fator ter um alto peso na metodologia de avaliação da Monetus. Nosso algoritmo aplica um peso de 40% (duas estrelas) para esse parâmetro. Para calcular este parâmetro, nós utilizamos três períodos de avaliação — último ano, últimos três anos e últimos cinco anos de retorno de cada fundo.

Ao avaliarmos os retornos dos fundos, eles são agrupados em categorias para garantir uma comparação justa. Além disso, nosso algoritmo dá pesos distintos para cada período, favorecendo os retornos mais recentes. Essa é uma forma de olhar tanto para o presente quanto para o passado do fundo. Fundos com alta consistência, aqueles que superam frequentemente o seu benchmark, recebem nota maior.

Risco

Aqui analisamos uma das leis fundamentais do mercado financeiro: maiores retornos vem acompanhados de maiores riscos. Em geral, risco pode ser entendido como o potencial de perder dinheiro. Como o risco é uma parte fundamental para analisar um investimento, nosso algoritmo também aplica um peso de 40% (duas estrelas) para ele.

A parte interessante é que aqui são consideramos dois parâmetros: o índice de Sharpe e a volatilidade. O índice de Sharpe foi desenvolvido pelo legendário ganhador do prêmio Nobel de economia e professor da Universidade de Stanford, William F. Sharpe. O índice funciona como uma medida de quão eficiente um portfólio é em transformar risco em retorno. A volatilidade por sua vez é medida pelo desvio padrão dos retornos — o quanto os retornos do fundo se afastam do retorno médio. Ambos os índices são avaliados ao longo de um período de cinco anos.

Tempo, taxa de administração e patrimônio sob gestão da gestora

Quanto mais tempo um fundo estiver no mercado mais fácil se torna avaliar a consistência dele. Assim, fundos com maior histórico são beneficiados pelo nosso robô.

Já quanto pensamos em taxa de administração, quanto menor melhor. Aqui, nosso algoritmo avalia o quanto a taxa de um determinado fundo se desvia da média dos fundos dentro da categoria.

O patrimônio sob gestão total da gestora é um fator interessante de se avaliar devido a maior possibilidade de se contratar recursos humanos e tecnológicos superiores. Gestoras com maior patrimônio total sob gestão são melhor avaliadas pelo nosso algoritmo.

No final, esses três critérios são mesclados através de cálculos dinâmicos do nosso algoritmo para atribuir os 20% (uma estrela) restantes.

Patrimônio sob gestão do fundo

O patrimônio de um fundo é basicamente a soma de todos os ativos dentro dele. Se o patrimônio sob gestão de um fundo é muito baixo (adotamos um piso de R$ 20 milhões), há um problema em confiarmos na performance e qualidade do gestor, afinal os investidores estão investindo pouco dinheiro no fundo. Assim, para fundos com patrimônio muito baixo, o algoritmo aplica uma penalidade de duas estrelas.

Por sua vez, fundos com um patrimônio muito alto (adotamos um piso de R$ 5 bilhões) também tem dificuldades de gerar alfa — retorno acima do benchmark. Quanto maior o patrimônio do fundo, mais difícil se torna encontrar boas oportunidades no mercado que ofereçam um retorno substancial. Assim, para fundos com patrimônio muito alto, o algoritmo aplica uma penalidade de uma estrela.

Resumo

Nosso algoritmo exclusivo de avaliação é uma forma conveniente de analisar medidas compostas de retorno, risco e outros parâmetros de forma dinâmica. A avaliação do algoritmo da Monetus é baseada em um modelo matemático-estocástico e não reflete a opinião da Monetus sobre o potencial de qualquer fundo. O que o algoritmo faz é, ao processar milhões de dados históricos, comparar diferentes fundos e apresentar os resultados de forma simples e intuitiva ao investidor.